Carta do Presidente

Nunca fui especialmente bom em comemorar datas. Cresci com a “síndrome da próxima luta”, sempre de olho no adiante. Talvez 2018 tenha sido a primeira vez em que olhei para trás com mais carinho e reflexão. Afinal, completamos a maioridade em existência e 15 anos de fundação. Não imaginava, em agosto de 2000, quando subi a Rocinha pela primeira vez, que dali em diante minha história e a de tantas outras pessoas jamais seria a mesma. Me encontrava ali com a melhor parte da minha vida.

Surgimos de um sonho meu, do Geraldo, do Duda e de outros grandes amigos e, hoje, somos reconhecidos por nossa qualidade de gestão, comunicação e transparência.

Prova disso foi receber pela segunda vez o prêmio das 100 Melhores ONG’s do país e vencer na categoria Melhor ONG de Esporte, algo que jamais teria acontecido sem a liderança do nosso Diretor Financeiro, Luciano Gomide, há mais de dez anos nessa missão, e do nosso Conselho, conosco desde 2013, divisor de águas em nossa gestão.

Em abril, mês do nosso aniversário, realizamos o 2º Jantar Solidário, no Copacabana Palace. Com muitas histórias de sucesso para contar, lançamos o manifesto “Reage Rio”, em um evento que reuniu amigos, parceiros e admiradores do trabalho realizado pelo Reação. Uma noite para ficar na memória, sem dúvida!

No nosso Programa Olímpico, tivemos mais um ano de muitas vitórias. O Reação foi campeão geral da 1ª Edição do GP Nacional Misto, principal competição de clubes do país, televisionada ao vivo pelo Sportv. Ao final, a entrevista com Rafaela Silva, nossa campeã olímpica, traduziu o sentimento de todos. “Tem muitas crianças assistindo, que sonham um dia estar aqui, fazendo parte de uma equipe com medalhistas olímpicos e mundiais e a gente poder mostrar que é capaz de chegar e conseguir, deixa um legado para a nova geração do Instituto Reação”.

Pelo 12º ano consecutivo fomos líderes do ranking estadual e colocamos atletas nas seleções nacionais Sub-13, Sub-15, Sub-18, Sub-21, Sênior e Paralímpica, fiéis à missão de continuar formando medalhistas em Mundiais e Olimpíadas, com o DNA Reação, sonho grande do nosso Programa Olímpico. Resultados que refletem o árduo trabalho realizado pela equipe multidisciplinar, sob o comando do nosso ‘generaldo’, Geraldo Bernardes.

Em 2018, finalizamos a nossa metodologia “O Caminho”, integrando ainda mais esporte e educação para, assim, podermos espalhar mundo afora nossa missão, valores e sonhos.

Fora dos tatames também colhemos bons frutos. Exemplo disso foi nossa aluna Ana Cláudia, que ganhou um concurso de desenho internacional promovido pela relojoaria suíça IWC e a Laureus Sport for Good, nossa parceira internacional há 3 anos. Ela foi premiada com um laptop e teve sua arte estampada no verso de um relógio exclusivo da marca. E quem entregou o prêmio foi o craque Cafu, pentacampeão mundial de futebol. Nem preciso falar sobre a emoção da Ana.

Ao todo, em 2018, atendemos 1697 crianças, adolescentes e jovens em dez unidades: Rocinha, Cidade de Deus – Taquara, Cidade de Deus – Polo de Iniciação, Deodoro, Tubiacanga, Pequena Cruzada, Parque Olímpico, Gamboa, Solar Meninos de Luz e Cuiabá, primeiro polo fora do Rio de Janeiro.

Levar a metodologia para outros estados já era um desejo antigo e poder começar em Mato Grosso, berço do atleta e amigo de longa data, David Moura, vice-campeão mundial peso pesado e na luta por uma vaga em Tóquio 2020, foi muito simbólico para todos.

Para marcar tantos anos de luta, escolhemos algumas histórias para compor o livro de 15 anos. Cada uma simbolizando um princípio do judô. Alguns exemplos das tantas vidas transformadas por um time enorme de parceiros, voluntários e equipe, liderada pela Leri, que tanto me orgulha.

Para 2019, espero que esse nosso adolescente de 15 anos, que já carrega uma bagagem cheia de boas e incríveis histórias voe mais alto...

...e esteja presente em cada vez mais lugares, levando esporte e educação para um número muito maior de crianças e jovens. Que nossos alunos subam muitas vezes ao pódio, do judô e da vida. Aos parceiros e amigos, o meu muito obrigado. A História do Reação é escrita a muitas mãos e espero que assim seja sempre. Todos juntos, formando faixas pretas dentro e fora do tatame!

Flávio Canto
Diretor-Presidente do Instituto Reação