4 dicas para formar uma família acolhedora e ajudar no desenvolvimento da criança

4 dicas para formar uma família acolhedora e ajudar no desenvolvimento da criança

Os familiares são a primeira noção de convivência em sociedade que uma criança tem. Por isso, construir uma família acolhedora pode ajudar também a formar cidadãos melhores.

É com base nos exemplos que recebem em casa que os seus filhos se portarão fora dela. Ou seja, se convive em meio a conflitos, brigas e desrespeito, é bastante provável que carreguem essas impressões para o mundo e as tornem o pilar do seu comportamento.

Por esses e vários outros motivos é fundamental construir uma família acolhedora. Confira as 4 principais maneiras de como fazer isso.

As 4 principais dicas para formar uma família acolhedora

A formação de uma família acolhedora se dá com base em diversos pilares. Podemos dizer que vai desde o simples ato de fazerem as refeições juntos, até dividir as conquistas ao longo da vida. 

Se formos resumir o que é necessário para a construção de uma família com esse perfil, destacaríamos estes 4 pilares:

  • respeite o espaço de cada um;
  • busque fazer uma aproximação respeitosa;
  • dê abertura para diálogos saudáveis;
  • seja tolerante com o outro.

Respeite o espaço de cada um 

O respeito é o princípio básico de qualquer relação. Por mais que haja amor e a vontade de cuidar e proteger, se os pais invadirem o espaço dos filhos, correm o risco de perder a sua confiança.

Quando isso acontece, a criança ou o jovem não se sente parte de uma família acolhedora e, sim, participando de um grupo de pessoas que desejam impor as suas vontades acima dos seus desejos, sonhos e limites.Leia também: “Como ensinar e estimular a solidariedade nas crianças

Busque fazer uma aproximação respeitosa

Uma aproximação saudável também tem relação com o respeito ao espaço do outro. Muitas vezes, não estamos em um bom dia e só precisamos ficar um pouco sozinho.

Uma família acolhedora respeita momentos como esse, mas também tenta se aproximar de forma sutil e respeitosa para prestar solidariedade e, quem sabe, ajudar a resolver o problema em questão sem imposições.

Sugestão de leitura: “Você sabe quais são os desafios que as crianças brasileiras terão pela frente? Entenda como podemos reverter essa situação

Dê abertura para diálogos saudáveis

Seguindo essa linha, é essencial que haja abertura para se ter bons diálogos entre os membros da família.

Para isso, as conversas devem ser enriquecedoras, trazendo a sensação de aconchego e de conforto. 

É fundamental que os filhos vejam os pais e demais membros da família como um “porto seguro”, um grupo de pessoas dispostas a ouvi-los e a dar conselhos construtivos para as suas vidas.

Seja tolerante com o outro

Essas conversas, por sua vez, só terão efeitos positivos se houver tolerância entre os envolvidos. 

Por exemplo, quando uma pessoa da família dá a sua opinião sobre um assunto e é duramente criticada, essa atitude não colabora para o seu crescimento, assim como não é um bom exemplo para as crianças e jovens da casa.

O mesmo vale para gostos pessoais, preferências, escolhas ou mesmo limitações. Cada ser é um indivíduo único e, às vezes, o que é simples para um não é visto da mesma forma pelo outro.

Por isso, a tolerância é um dos pontos essenciais para a construção de uma família acolhedora.

Por que é importante construir uma família acolhedora

A atuação da família na vida de uma criança e de um jovem tem influência direta no adulto que eles podem se tornar.

O comportamento e posicionamento dos familiares e parentes tende a impactar no seu convívio social, no seu lado emocional, psicológico e até afetar a sua saúde física.

A família tem o papel de cuidar, proteger, educar, alimentar, orientar e, claro, amar e ser acolhedora.

Essas são algumas das bases que transmitimos aos nossos alunos e aos seus familiares todos os dias. 

Conheça mais sobre o Instituto Reação e confira como você também pode ajudar a construir uma sociedade melhor.