O que é o Outubro Rosa?

O que é o Outubro Rosa?

Mundialmente realizada em outubro, a campanha anual Outubro Rosa tem a importante missão de alertar a população sobre o diagnóstico precoce do câncer de mama. O movimento foi criado no início dos anos 90 pela Fundação Susan G. Komen e ganhou visibilidade ao longo das últimas décadas, lançando o laço cor-de-rosa: símbolo da  data.

Visando um acesso mais democrático aos atendimentos médicos e tratamentos, tal pauta traz diversos questionamentos e promove encontros técnicos de especialistas do meio com a massa para disseminar informações.

Vale destacar que o diagnóstico precoce mamário tem grande importância, tendo em vista que 95% dos casos detectados têm chance de cura e evitam a agressividade do tratamento. Tal detecção é realizada por exame clínico de ginecologista ou mastologista e o indicado é que as mulheres realizem o auto-exame das mamas uma vez ao mês, após período menstrual. Aquelas que têm acima dos 40 anos precisam realizar mamografia anual.

A médica mastologista Dra. Patricia T. Valentini de Melo ponderou sobre a detecção precoce ao portal Oncoguia: “A mulher deve estar atenta a qualquer mudança no seio, por exemplo, vermelhidão, abaulamentos ou retrações de pele, descamação da pele da aréola/mamilo, inversão recente do mamilo, ulcerações, nódulas palpáveis endurecidos ou fixos (nas mamas e/ou axilas), espessamentos palpáveis, secreções preocupantes (sangue ou transparente como água). Em todos esses casos a mulher deve imediatamente procurar seu médico para elucidação diagnóstica.”

Como fatores de risco comportamentais, podemos ressaltar o impacto da má alimentação, excesso de peso, consumo de álcool e ausência de atividade física. Por outro lado, as desigualdades mediante às regiões e faixas de renda ainda são gritantes e ceifam a oportunidade de um tratamento precoce e eficaz, de acordo com Arn Migowski, chefe da Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede do INCA.

Segundo notícia divulgada pelo site Veja Saúde, os números de exames caíram em 20% no Sistema Único de Saúde (SUS) devido ao período de pandemia – resultando em adiamentos de consultas e suspensão de tratamentos eficazes. Este resultado é o menor desde 2012, sendo a primeira vez em 8 anos que o número de atendimentos fica abaixo de 800 milhões.

A boa notícia é que um dos compromissos do Brasil na Agenda 2030 é a redução do número de mortes por tipos de câncer com maiores números de casos, tais como mama e colo de útero. A meta é diminuir de 30% para 16%!

O Reação apoia e participa do Outubro Rosa!